terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Memória viva.......................


Hoje fui a um hipermercado com a minha filha....logo à entrada a zona do "regresso às aulas". Por instantes, entrei na máquina do tempo, ou melhor, tive um flashback de momentos especiais...desde que o meu filho entrou para o 1º ano do ensino básico e 4 anos depois a minha filha que, na 2ª quinzena de Agosto, era imperativo ir ao "regresso às aulas". E ali revivi a azáfama da procura da mochila, os cadernos (de linhas, folhas brancas e quadriculados), as canetas, lápis de carvão, lápis de cor, réguas, borrachas, afias, marcadores....não esquecer de nada.....ali vi-os a procurar a a colocar no carrinho as suas escolhas....no fim lá vinha a frase do costume...mais um ano escolar, lá se vão acabar as férias. Repentinamente voltei a mim....e tive de me conter para não chorar.....uma enorme saudade ocupou o lugar da lembrança.

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Memória viva......................



Hoje, enquanto via o filme "Quem quer ser milionário" com a minha filha e porque o mesmo tem "flashbacks", voltei ao passado. 
E revivi um momento especial..... de alguns momentos especiais que tenho tido, aquele foi-me apresentado à frente dos olhos.
Um momento com poesia.....um lindo poema ao estilo Camoniano. 
E chamava-se "Carta". 
Momentos que ficam para sempre. 

sábado, 16 de Agosto de 2014

Hoje é sábado e dia 16........


Hoje é sábado....e dia 16.
O sábado nunca mais foi sábado
desde aquele sábado dia 16 de Junho...
.....dois anos se passaram.
O sábado que, quando saía para trabalhar,
ia ao teu quarto dar-te o beijo da manhã
e dizia: até logo filho...dorme, descansa...
....e no inverno aconchegava-te o edredon.
Tu, sonolento, feliz pelo aconchego e pelo beijo
dizias...até logo e voltavas a adormecer.
De seguida, quando a tua irmã estava cá,
ia ao seu quarto e dava-lhe o beijo da manhã e
aconchegava-lhe o edredon...e dizia até logo filha.
Ela, com sono mais profundo, não acordava...
mas sentia o aconchego.
Hoje é sábado, mas nunca como aqueles sábados,
e vou só ao quarto da tua irmã.
Hoje é sábado e desde aquele sábado,
quando acordo de manhã olho para ti...
....o teu olhar diz-me: bom dia mãe....
e o teu beijo chega através do teu sorriso,
que sai das tuas fotografias que um instante eternizou.
Hoje é sábado dia 16, mais um dia que vivo,
menos um dia que falta para te voltar a abraçar.

Amo-te filho.....quanta saudade! 

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Contemplo o que não vejo.....................................


Contemplo o que não vejo

Contemplo o que não vejo.
É tarde, é quase escuro.
E quanto em mim desejo
Está parado ante o muro.

Por cima o céu é grande;
Sinto árvores além;
Embora o vento abrande,
Há folhas em vaivém.

Tudo é do outro lado,
No que há e no que penso.
Nem há ramo agitado
Que o céu não seja imenso.

Confunde-se o que existe
Com o que durmo e sou.
Não sinto, não sou triste.
Mas triste é o que estou.

Fernando Pessoa

terça-feira, 5 de Agosto de 2014

Liberty..............




Porque gostamos.....with Nuno Salta  and Sano Ogawa 

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

domingo, 27 de Julho de 2014

O que realmente importa.................

http://www.rtp.pt/play/p1439/e147115/grande-entrevista-2014


O que realmente importa....

Viver o presente.....aproveitar o presente. O futuro tem uma importância relativa....ou nenhuma se não vivermos o presente.

VEJA AQUI. 
Também pode clicar na imagem

sábado, 26 de Julho de 2014

Meus avós......


Meus avós......
Minha avó Maria do Resgate teu nome herdei mas não te conheci....partiste antes de eu nascer...tiveste uma vida de luta e trabalho....trabalho que acabou por te matar...quando partiste eras mais nova que eu.
Meu avô Carvalho....como me lembro de ti. Mas poucos anos te tive .....desde a morte da avó tu ficaste incompleto.....mas as recordações estão vivas dentro da minha caixinha da memória. Gostaria que vos ter tido mais anos junto de nós.....os avós são tão importantes na vida das crianças! Hoje é dia dos avós...... hoje, amanhã e todos os dias.

Minha querida avó reparei que tens na lapela a fotografia da minha irmã Gabriela , a tua primeira neta que faleceu com cerca de 9 meses de idade. Também não a conheci....um dia estaremos todos juntos.

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Como é que se esquece alguém que se ama?



Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?

As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.

É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.

Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.

Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.

O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'

AMO-TE MEU FILHO! Nunca te esquecerei.....até porque estás e estarás sempre comigo.
 

terça-feira, 22 de Julho de 2014

Porque gostamos.....................



Porque gostamos.....with Nuno Salta  and Sano Ogawa 

sexta-feira, 18 de Julho de 2014

Viagem no tempo.............


Meu querido filho,
Remexendo nas gavetas encontrei estas fotografias.....lembras-te de um dos Verões que foram passar férias à casa da Avó Bia? A vossa prima Joana e a Avó Bia estivarem cá uns dias e depois foram os quatro para o Estoril.
Lembras-te do entusiasmo da viagem de comboio e no Alfa Pendular? Quando íamos a Cascais era sempre de carro. .....estavam todos entusiasmados. Tu sempre ao lado da Avó......essa ligação com os teus avós foi sempre especial. O teu avô Gabriel transmitiu-te o gosto pela música clássica....vocês passavam horas a ouvi-la desde muito novinho....com 3 anos já punhas o gira-discos/cassetes a tocar. A tua avó transmitiu-vos as histórias da sua vida, desde a sua infância em terras Angolanas até à vinda para Portugal. A tua avó também vos falava em cidadania (mal ainda sabiam o que isso era) ...mas ela fazia (tal como eu) questão que vocês tratassem todas as pessoas como iguais, fossem educados com todos, independentemente de seu estatuto na sociedade.... ensinou-vos (tal como eu) a abominar o preconceito. A tua avó ajudou-me, educando-vos como me educou. Por isso as férias na casa da Avó Bia eram especiais.....não só pela praia, pelas saídas e convivência com as vossas primas mas sobretudo, pelos ensinamentos que adquiriram. E vocês não defraudaram o tempo todo que os vossos avós vos dedicaram......tornaram-se em adultos educados, bons filhos, bons amigos, bons alunos e muito responsáveis.
Aqui estou eu encostada a ti...tu com os teus 16 anos e já mais alto que eu. Como o tempo passou depressa......mas para sempre serás o meu menino, o meu filho adorado......tal como a tua irmã será sempre a minha menina adorada.  
Amo-te meu filho!

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

domingo, 13 de Julho de 2014

The Wedding...........................




The Wedding March......
O Casamento!
O casamento que assumimos com a vida quando nascemos.
O único casamento que durará toda a vida.
O casamento que será para o bem e para o mal...
Que rejuilará com a alegria...que suportará as tristezas.
O casamento que estará sempre presente na riqueza e na pobreza.
O casamento que nos responsabiliza pelas nossas opções, escolhas, acções!
O casamento que nos responsabiliza perante a sociedade...
O casamento que nos dá a natureza que nos envolve, a qual nós devemos respeitar.
O casamento que nos traz amor, muito amor da nossa família e amigos...
O casamento que nos dá um caminho a percorrer....alguns troços nossa escolha...outros escolha da vida, nossa companheira.
O casamento que a morte porá o fim ....e não sabemos nem quando, nem como....o fim que deixará a tristeza a quem fica...mas que trará a luz e a paz a quem parte em união com a eternidade.

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Tempo..............


Agora já é tarde. Só reparo no tempo quando já passou.
 

Mia Couto