quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Como é que se esquece alguém que se ama?



Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?

As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.

É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução.

Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha.

Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado.

O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Último Volume'

AMO-TE MEU FILHO! Nunca te esquecerei.....até porque estás e estarás sempre comigo.
 

terça-feira, 22 de Julho de 2014

Porque gostamos.....................



Porque gostamos.....with Nuno Salta  and Sano Ogawa 

sexta-feira, 18 de Julho de 2014

Viagem no tempo.............


Meu querido filho,
Remexendo nas gavetas encontrei estas fotografias.....lembras-te de um dos Verões que foram passar férias à casa da Avó Bia? A vossa prima Joana e a Avó Bia estivarem cá uns dias e depois foram os quatro para o Estoril.
Lembras-te do entusiasmo da viagem de comboio e no Alfa Pendular? Quando íamos a Cascais era sempre de carro. .....estavam todos entusiasmados. Tu sempre ao lado da Avó......essa ligação com os teus avós foi sempre especial. O teu avô Gabriel transmitiu-te o gosto pela música clássica....vocês passavam horas a ouvi-la desde muito novinho....com 3 anos já punhas o gira-discos/cassetes a tocar. A tua avó transmitiu-vos as histórias da sua vida, desde a sua infância em terras Angolanas até à vinda para Portugal. A tua avó também vos falava em cidadania (mal ainda sabiam o que isso era) ...mas ela fazia (tal como eu) questão que vocês tratassem todas as pessoas como iguais, fossem educados com todos, independentemente de seu estatuto na sociedade.... ensinou-vos (tal como eu) a abominar o preconceito. A tua avó ajudou-me, educando-vos como me educou. Por isso as férias na casa da Avó Bia eram especiais.....não só pela praia, pelas saídas e convivência com as vossas primas mas sobretudo, pelos ensinamentos que adquiriram. E vocês não defraudaram o tempo todo que os vossos avós vos dedicaram......tornaram-se em adultos educados, bons filhos, bons amigos, bons alunos e muito responsáveis.
Aqui estou eu encostada a ti...tu com os teus 16 anos e já mais alto que eu. Como o tempo passou depressa......mas para sempre serás o meu menino, o meu filho adorado......tal como a tua irmã será sempre a minha menina adorada.  
Amo-te meu filho!

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

domingo, 13 de Julho de 2014

The Wedding...........................




The Wedding March......
O Casamento!
O casamento que assumimos com a vida quando nascemos.
O único casamento que durará toda a vida.
O casamento que será para o bem e para o mal...
Que rejuilará com a alegria...que suportará as tristezas.
O casamento que estará sempre presente na riqueza e na pobreza.
O casamento que nos responsabiliza pelas nossas opções, escolhas, acções!
O casamento que nos responsabiliza perante a sociedade...
O casamento que nos dá a natureza que nos envolve, a qual nós devemos respeitar.
O casamento que nos traz amor, muito amor da nossa família e amigos...
O casamento que nos dá um caminho a percorrer....alguns troços nossa escolha...outros escolha da vida, nossa companheira.
O casamento que a morte porá o fim ....e não sabemos nem quando, nem como....o fim que deixará a tristeza a quem fica...mas que trará a luz e a paz a quem parte em união com a eternidade.

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Tempo..............


Agora já é tarde. Só reparo no tempo quando já passou.
 

Mia Couto

segunda-feira, 7 de Julho de 2014

À espera.......


À espera......

À espera...
do tempo...
da chegada...
de uma primavera
que não chegará.
Da partida...
minha partida...
para lá do tempo
em que fui parida.
À espera...
da vida que não chegou...
que a vida levou.
À espera...
do encontro ansiado
com meu filho amado!
 

segunda-feira, 30 de Junho de 2014



A todos os meus familiares e amigos(as) agradeço o apoio que me têm dado ao longo destes 2 anos. É indiscutivel que a minha adorada filha é a pessoa mais importante para mim, é indiscutível que vivo para ela, mas também é indiscutível que o meu filho é a pessoa mais importante para mim e que por ele continuo o caminho da minha vida com a vossa tão prestimosa ajuda e amizade. Um grande abraço  .......with Nuno Salta  and Sano Ogawa 

sexta-feira, 27 de Junho de 2014

Parabéns Meu Querido Filho....



Meu querido filho,

Faz hoje 30 anos que nasceste.
Sabes que me fizeste esperar mais 2 semanas para além das 40 semanas de gravidez. Uma gravidez com um pequeno precalço no inicio, mas como tinhas que nascer e viver para alegrar as nossas vidas, esse mesmo precalço foi ultrapassado. Depois disso a gravidez foi tranquila. Tive desejo de grávida: sandes de presunto:....como nos rimos quando contava isso....até acordada sonhava com as sandes de presunto.
Já no fim da gravidez e porque teimavas em não sair, a tua tia telefonava-me e perguntava: então quando é que o carequinha nasce? E é que nasceste com muito pouco cabelo!
No dia 26 de Junho dado que ainda não havia sinais de contrações fui internada, mas passei a noite em casa. No dia 27 logo de manhãzinha fui para o Hospital Santa Maria e a minha colega lá provocou o parto....um parto um pouco complicado e que felizmente acabaste por nascer sem sequelas mas com uma compliçãozinha.....fizeste uma penumonia por aspiração de secreções.
Lembras-te que foste para o Serviço de Pediatria de Alto Risco? Lembras-te quando fui para te amamentar? Já tinhas mamado um biberon e o meu leite não saiu em jorro...aí é que foram elas.....berraste zangado e fizeste e tua 1ª birrita. A Srª Enfermeira bem tentou convencer-te, enganar-te...mas não pegou! Era o biberon que querias e lá teve de ser.
Lembras-te que eras o bébe mais sossegado da maternidade? Quase nem choravas, dormias bem.....quando fomos para casa da Avó Bia...tanto colinho e de todos! Nessa noite já dormiste ao colinho e na outra seguinte, e mais outras se seguiram....colinho e música....uma gaivota voava, voava / asas de vento, coração de mar / como ela somos livres, somos livres de voar....perdi a conta das vezes que cantei para ti! Faz hoje 30 anos que nasceste para ser meu filho! Para dares amor e alegrias a todos nós que te amamos...a tua irmã Sano Ogawa, teus tios e teus avós. Faz hoje 30 anos que tive o privilégio de te ter como filho. Parabéns Meu Amor!

 


sábado, 21 de Junho de 2014

segunda-feira, 16 de Junho de 2014

2 anos........



Meu querido filho,

 Naquela manhã acordei tarde de mais....já tinhas saído...nem era costume saíres sem eu te dar um beijo de bom dia e tomarmos o pequeno almoço juntos. Mas naquela manhã saíste mais cedo ou eu acordei mais tarde.
Olhei pela janela e vendo o tempo de chuva miudinha pensei logo em ti, na tua ida até ao Porto.
Mas algo mais foi diferente naquela manhã....já não senti a angústia que me perseguia desde que foste para a faculdade...desde que começaste a fazer o caminho pela estrada por onde passaste cerca de 10 anos.
Fui trabalhar sem saber que já tinhas partido para junto d'Ele.
Só ao fim da manhã recebi a noticia...GNR à porta e de Lordelo?
Que quereriam? "É a mãe de Nuno Gonçalo Salta?" perguntou um deles.
Meu coração mirrou....não consigo explicar...mesmo eles não dando qualquer tipo de informação eu sabia...meu coração mo disse!
"Seu filho teve um acidente, tem de nos acompanhar ao Posto" Lá fui...levada pelo Sr João (a Goreti ficou em casa em cuidados) e pelo caminho, mesmo o meu coração dizendo que tinhas partido, eu insisti em não acreditar e telefonei-te...tocou, tocou tocou...atende Nuno, atende meu filho, ATENDE....mas não o podias fazer. Sempre não querendo acreditar telefonei para o serviço de urgência do hospital e de lá negaram que tinhas dado entrada. "Mas o acidente foi em Lordelo e Lordelo pertence a Guimarães" dizia eu..."O seu filho não deu entrada pela urgência!" respondeu a funcionária. Num misto de dor e angústia chegamos ao Posto da GNR de Lordelo e aí foi-me entregue os teus documentos com as seguintes palavras:"seu filho teve um acidente grave e não sobreviveu."
Chegou a Daniela e choramos, choramos....
Como dar a noticia à tua querida irmã? Como dar a noticia à tua querida avó e tios? Outra dor, outra dor...sentir a dor deles!
Fui ao hospital...tinha que te ver...tinha que te dar o beijo que não dei antes de saíres...tinha que te falar...dizer-te o quanto te amo, pedir a Deus pela tua vida em troca da minha, cantar-te a canção de dormir...Uma gaivota voava, voava....
Ali estive a dar-te os últimos mimos.
Cheguei a casa e abraçando a Goreti disse: o meu menino partiu...o nosso menino partiu!
Dois anos se passaram....dois longos anos em que fiquei, para sempre, pela metade!
Amo-te meu querido filho.

domingo, 15 de Junho de 2014

Porque gostamos.......







Porque gostamos...with Nuno Salta  and Sano Ogawa 


sábado, 14 de Junho de 2014

Porque gostamos..................




Porque gostamos...with Nuno Salta  and Sano Ogawa 

quarta-feira, 28 de Maio de 2014