segunda-feira, 17 de julho de 2017

domingo, 16 de julho de 2017

Meu querido filho _________




Aguardando o tempo da viagem,
quero ver
o brilho das estrelas,
quero ver
o sol a acordar o mundo,
quero ver
o mar dançar
e que a sua dança
acalme e lave as minhas mágoas.
Quero que o tempo me esqueça.

Meu querido filho,


Já sabes que a Beatriz nasceu. Quis ver o mundo antes do tempo mas não induziram o parto, nasceu uns dias tarde, mais precisamente no dia 30 de Junho e na sua hora. Temos uma hora para nascer e uma para morrer ____ e a tua hora de morrer chegou muito cedo, muito cedo. Tinhas tanto para dar ao mundo, às pessoas e à ciência. Mas Deus chamou-te naquele dia e naquela hora como enviou a Beatriz no dia e na hora certa.
Lembraste quando nasceu a tua primita Carolina? Foi há 5 anos, ainda não tinhas partido. Foi um dia especial com a tua avó Bia ansiosa para ser bisavó, a minha primeira sobrinha-neta e vossa primita. A sala de espera do Hospital da Luz estava em festa.
Um dia em que tudo parecia perfeito nas nossas vidas. Mas a vida é tramada e tramou-nos!
Tudo mudou e parte de mim partiu contigo nesse dia fatídico. A minha essência continua, mas a minha perspectiva sobre a vida mudou.
Não posso nem devo ir por caminhos que me possam magoar. Já não tenho aquela couraça forte que ultrapassou tantas adversidades. Ainda consigo ultrapassar algumas adversidades, como o que aconteceu com o meu cancro. Mas a tua ausência física, com todas as tuas qualidades como filho, debilita-me dia após dia.
Eu sei que me queres ver feliz mas o máximo que consigo é ter momentos de pequenas alegrias. Já me vão ajudando no resto da minha caminhada.
No dia que nos encontrarmos dar-te-ei o beijo, carregado de saudades, que naquela manhã (porque saíste cedo) não te dei.
Adoro-te meu filho.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

O facebook a lembrar _______


"Mais uma caminhada! Mais um tratamento. Na 1ª sala de espera estavam alguns acompanhantes e 2 pessoas para a radioterapia. Logo depois chegou a senhora dos vómitos. Desde que a vi pela primeira vez tem vindo a recuperar a alegria____ nos primeiros dias reparei que carregava o peso da incerteza mas sobretudo do medo. Fiquei feliz de a ver tão bem disposta. Cumprimentou-nos sorridente e sentou-se a falar descontarídamente com o marido e a filha.
Depressa fui chamada para entrar. Na 2ª sala de espera estava uma senhora a esfregar as mãos.
Sentei-me perto dela e começou a conversa. Era o 1º tratamento. Fez uma mastectomia parcial (tirou uma das mamas). Já tinha feito quimioterapia mas devido a uma infecção atrasou a radioterapia. Estava receosa. Descansei-a acerca do "solário" (ela esboçou um sorriso a esta referência). Aconselhei-a a hidratar-se bem, aplicar o creme várias vezes ao dia e pensar que está viva para a vida.
Fomos chamadas para os vestiários e enquanto esperava tirei esta selfie: - Momento em que estou acompanhada de mim, o corpo e a alma. Sendo que a alma é, incontestávelmente, a verdadeira VIDA dentro do invólucro que é o corpo!
Já só faltam 20 tratamentos!"

Maria Resgate Salta - Publicado no dia 5 de Julho de 2016 no Facebook

****

Hoje, dia 5 de Julho de 2017, 1 ano depois _____

O facebook a lembrar ______
Foram 30 dias de radioterapia e no fim fiquei mais rica em sabedoria. Aprendi muito com os meus e minhas colegas de "solário". Pessoas de várias idades com diferentes tipos de cancro, doença, malzinho. Partilhamos as nossas vidas, as nossas dores (e não foram só as físicas), as nossas expectativas, os nossos sonhos e um futuro incerto para todos (com ou sem doença).
E o tempo voou! Depressa cheguei ao último tratamento acompanhada com a saudade dos restantes 29 dias. Agradeço a Deus ter-me proporcionado estes 30 dias na minha vida! Foram e são preciosos!




terça-feira, 27 de junho de 2017

Parabéns meu filho!


"Nasceu-te um Filho

Nasceu-te um filho. Não conhecerás,
jamais, a extrema solidão da vida.
Se a não chegaste a conhecer, se a vida
ta não mostrou - já não conhecerás

a dor terrível de a saber escondida
até no puro amor. E esquecerás,
se alguma vez adivinhaste a paz
traiçoeira de estar só, a pressentida,

leve e distante imagem que ilumina
uma paisagem mais distante ainda.
Já nenhum astro te será fatal.

E quando a Sorte julgue que domina,
ou mesmo a Morte, se a alegria finda
- ri-te de ambas, que um filho é imortal."

Jorge de Sena

Meu querido filho,

Faz hoje 33 anos que nasceste.
És um dos Presentes que Deus me deu. O outro é a tua irmã Ana Rita/Sano Ogawa
Lembro-me tão bem do dia que chegaste e trouxeste contigo o "puro amor".
Já com 42 semanas fui internada no dia 26 de Junho mas fui passar a noite a casa. A indução do parto só seria no dia seguinte. Apesar de sentir umas contracções não tinha dores.
No dia 27 de Junho, logo pela manhã, fui para o Hospital de Santa Maria (em Lisboa). Fui para o Bloco de partos. Lá me induziram o parto mas as dores nada de aparecerem. Até que uma das minhas colegas decidiu perfurar a bolsa amniótica. A partir daí a dilatação iniciou e as dores vieram com intensidade crescente.
Iniciei a respiração apropriada e assim controlei as dores.
A meu lado estava uma senhora que não parava de berrar: "ai os meus rinzes, ai os meus rinzes". Disse-lhe para fazer a respiração como eu mas quê? Foi berreiro todo o tempo que estive no quarto.
Entretanto tive a visita da minha colega Helena Serra e ela vendo o cenário: eu a respirar, ora ofegante, ora mais lentamente e a minha vizinha aos berros, disse-me:
- Nunca irei ter filhos! Isso dói muito!
- Não dói assim tanto, basta controlarmos a dor. - respondi.
Mas ela não ficou convencida e realmente não veio a ter filhos.
A certa altura iniciaram as contracções mais fortes com aquela vontade de "puxar". Chamei a senhora enfermeira e fui transferida para uma das salas de parto. Mas quê! Puseste todos a suar. Encravaste pelo caminho da saída. Umas das Enfermeiras lá te ajudou a nascer mas, devido ao facto de teres feito aspiração de secreções, levantaram-te para o Serviço de Alto Risco da Neonatologia.
E eu que te queria nos meus braços. Só passadas 12h é que pude ir ao serviço onde estavas, regalado, a dormir.
Foste um bebé calmo enquanto dormias, comias e estavas ao colinho. Fora disso choravas pois querias ver tudo.
Cresceste e o teu caminho foi sempre da rectidão, da humildade, da educação, do empenho e profissionalismo.
Um caminho que ficou incompleto pois tinhas projectos em mãos e não tiveste tempo de os concretizar.
Aqui estás no Estádio do nosso Clube, do nosso Glorioso Sport Lisboa e Benfica. Foi a 1ª vez que fui ao futebol convosco. Foi a 1ª vez que fui ver um jogo do Glorioso. Foi em Agosto de 2006 ___ Benfica - Viena de Áustria. Ganhamos! Mas fui proibida de ir a outro jogo convosco ____ fiz a figura de quem nada percebe de regras de futebol. Foi um dia espectacular entre muitos outros dias espectaculares que partilhamos.

"Nasceu-me um filho. Não conhecerei,
jamais, a extrema solidão da vida."

Sei que estás sempre comigo como eu te trago sempre no meu coração e pensamento. És imortal.

"E quando a Sorte julgue que domina,
ou mesmo a Morte, se a alegria finda
- ri-te de ambas, que um filho é imortal."

Parabéns meu filho pelo aniversário do teu nascimento. Obrigada por ser tua mãe meu amor! 💖

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Meu filho Nuno



Foi há 33 anos que Deus te enviou para seres meu filho e foi há 5 anos que Deus te levou para junto d'Ele.
O tempo percorre a rua das nossas memórias.
E são tantas memórias: doces, divertidas, angustiadas, cheias de amor por ti.
Mas as memórias nunca estão sós.
Elas andam entrelaçadas às saudades.
Saudades da tua presença, do teu olhar, do teu sorriso, do teu abraço.
Assim te vejo: a flutuar na imensidão do infinito com teu sorriso lindo.
Adoro-te meu filho!

Dia 17 de Junho às 18h celebrar-se-á a Missa do 33º Aniversário de nascimento e do 5º Aniversário de falecimento do meu filho Nuno Gonçalo Castro Plácido Salta, na Igreja de S. João em Vizela.

domingo, 4 de junho de 2017

Eu sou o que penso __________



Navego, firmemente, a nau das minhas opiniões.
Seguro a vela do meu pensamento,
nos mares revoltos das opiniões alheias,
até a tempestade ser levada pelo vento!

MRS

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Regresso


Regresso ao útero materno,
mergulho no feto que fui
todos meus sentimentos e emoções…
deixo-os pendurados no cordão umbilical…
Em paz, adormeço na posição fetal.

MRS

domingo, 21 de maio de 2017

Momentos __________



Momentos com quem já fez parte da minha vida (em Luanda) e voltou a cruzar-se com a minha vida.

A idade não conta______ seremos sempre as jovens da Rua José Oliveira Barbosa (JOBs) em Luanda.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Curtas Poéticas 2017




No meio do êxtase mora minha alma,
que fala através das entrelinhas,
que mostra meu amor
no latente do que posso chamar de eterno.

********

Asa ferida
voar rasante
respirar a vida
fazer o caminho
no colo mãe
no afago do filho

*********
Na plataforma ficou
o amor
O beijo se despediu
com dor
A viagem iniciou...

*********

O amor sentido num segundo
na pulsação do coração
no toque de cada mão
na palavra do olhar.

*********

Ouço a tua voz
na memória da ternura
Sinto teu o coração
na profunda saudade
Vejo o teu olhar
na lágrima calada.

*********

Verso rimado em cartão guardado,
sonho empoeirado no abraço apertado,
sorriso desenhado na estação do passado,
amor infindo no coração cravado.

*********

Saudade num colar de pétalas
Aroma de cores salpicada
Verso perdido numa canção
Alucinar pela chegada
Entre a primavera e o verão
Amor infinito.

*********

Sou maré cheia
Noite de lua incandescente
O coração inundo profundamente.
Sou vento forte do furacão
em rodopio na tua direcção.
Sou o verbo!

*********

Nascer de novo
Lápis, folha de papel, ponte
Desenhar o momento,
Tecer o berço
Trilhar a infância,
voar no tempo
Beijar-te na despedida.

*********

Acarinhar-te no meu silêncio
Não importa se nunca virás
Este sentir ilimitado, recluso em mim
Não importa se nunca virás
Amar-te-ei, até ao fim!

*********

Amar devagar,
suspender no tempo,
momento eternizado
na luz do nascimento.

*********

Onda agitada
brisa refrescante
sol escaldante
Amor é tudo e nada!

Maria do Resgate Salta

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Faz hoje um ano _______


Faz hoje 1 ano que fui operada ao meu cancro da mama. Faz hoje 1 ano que a minha vida, mais uma vez, deu uma volta.
Não foi a pior volta! A pior volta foi a morte do meu filho!
Desde há 1 ano, após a cirurgia e os tratamentos, abençoo (não estranhem o que digo a seguir) a oportunidade que Deus me deu ao ter que passar pelo caminho do cancro.
Nem tudo é mau, ou melhor, nem tudo tem que ser mau. Quando estamos no lado negro da vida e nos perguntamos "porquê eu?" (nunca fiz essa pergunta) devemos perguntar "porque não eu?". A vida oferece-nos constantemente as suas dádivas e nós, preocupados com os afazeres, com os problemas (porquê eu?), com as ambições, vivendo um futuro tão incerto, não aproveitamos essas dádivas.
Durante os tratamentos conheci pessoas fantásticas que me enriqueceram. Pessoas que mudaram a sua visão da vida quando souberam que tinham cancro: umas de uma forma positiva, outras de uma forma negativa (porquê eu?) mas todas com o objectivo de não se deixarem vencer pelo cancro, doença, malzinho.
Comecei a ingerir comprimidos aos 60 anos. Muito bom pois tenho na minha lista utentes com a minha idade que já tomam uma mão cheia há vários anos.
Desde há 1 ano iniciei um novo caminho ____ despindo-me e desfazendo-me do que não me faz falta. Quero ter lugar para a vida!
Agradeço a Deus a oportunidade que me concedeu (com o aparecimento do meu cancro) de eu começar a saborear a vida!

terça-feira, 9 de maio de 2017

Momentos _____________



Momentos com quem já fez parte da minha vida (em Luanda) e voltou a cruzar-se com a minha vida. JOB.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Obrigada _____



Nosso círculo de amigos é como um círculo, não tem começo nem fim.
Ontem é história, amanhã é mistério, hoje é uma dádiva.
Agradeço a todos os que tornaram o "meu hoje" numa dádiva de carinho.
Retribuo o carinho com um abraço apertado.


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Dia de aniversário _______


Quem determina quando haverá mudança na nossa vida? Não é o calendário, não é um aniversário, nem um ano novo ____ é um evento. Grande ou pequeno, bom ou mau _____ algo que nos mude e que de preferência nos dê esperanças ____ uma nova maneira de viver e de olhar para o mundo _____ desfazendo-nos de velhos hábitos e memórias que nos possam condicionar.
O importante é nunca deixar de acreditar que podemos ter um novo começo, mas também é importante lembrar que existem alguns momentos, que valem a pena serem guardados na nossa memória, porque, mesmo mudando, somos esses tão importantes momentos.
Hoje mudo de ano, entro num novo ano da minha vida_____já passaram 61 anos desde que nasci ____mas diariamente tento lapidar as imperfeições que tenho. Tarefa difícil, mas que farei mesmo sabendo que, um dia, algumas partirão comigo.
O dia que hoje se refaz no calendário tem um grande significado e importância, não para o mundo, nem tanto para mim _____ é o dia dos meus pais. Principalmente para a minha mãe ________ para ela sim, o dia tem toda a importância do mundo. Parabéns para a minha mãe que me deu vida!
Beijinho daqui para aí!

sábado, 22 de abril de 2017

quarta-feira, 19 de abril de 2017

domingo, 16 de abril de 2017

Meu querido filho _________


Meu querido filho,

Como sabes ando a arrumar a casa _____ a casa que um dia já foi lar. A casa que tem o teu quarto e a tua sala, o teu cantinho. A casa que foi um dos motivos de não teres ficado a viver no Porto quando entraste para a faculdade. Durante anos fizeste o caminho entre Vizela e Porto.
Durante a arrumação inúmeras memórias vieram ter-me às mãos. Fotografias tuas, cadernos da escola e da faculdade, cartões da escola e faculdade, cartão de sócio do nosso Glorioso Sport Lisboa e Benfica, papelada da Segurança Social ____ tantos momentos que tenho revivido nestes dias ____ dolorosos mas com uma pequena dose de felicidade por ter tido o privilégio de te ter como filho.
Já não falta muito para eu deixar esta casa que um dia já foi o nosso lar e que iria ser tua.
Só o teu quarto e a tua sala me seguirão, em pensamento, para a nova casa.
Levo também as tuas medalhas dos jogos de futebol e os inúmeros cachecois do GLORIOSO.
Aqui estás com a camisola do nosso Benfica.
Mais um mês sem ti. Mais um mês a transbordar de saudades.
Amo-te meu filho.