quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Memórias


Liceu D. Guiomar de Lencaste - Luanda

Estes dias resolvi dedicar algum tempo às minhas memórias. Já são muitas, mas nunca demais. O dia a dia, que me absorve implacavelmente nas suas tarefas, não me deixa rebuscar na gaveta das memórias momentos da minha vida que estão lá ciosamente guardados. Alguns desses momentos, mesmo que me pareçam insignificantes, estão lá gravados. Momentos como, por exemplo, o vestir a bata do liceu no 1º dia de aulas de um novo ano lectivo. Mas o pormenor responsável por ter esse dia na memória foi o emblema do liceu que era bordado na parte superior da bata, no lado esquerdo. Eram as iniciais: LGL,Liceu D. Guiomar de Lencastre. E do emblema sobressai a sua cor. A cor do emblema indicava o ano que frequentava.
No 1º dia de aulas do novo ano lectivo, ao vestir aquela bata branca, esmeradamente passada a ferro, olhava para o emblema com a nova cor e pensava: mais uma etapa na minha vida. Mais uma etapa para chegar onde quero. Mais uma etapa para poder exercer esta minha profissão que tanto amo. Desejava, naquele dia, que nada mo impedisse de fazer.
Como gostava de vestir a bata no 1º dia de aulas do novo ano lectivo, Como gostava de olhar para aquele emblema. Como gostei de todos os anos passados no Liceu D. Guiomar de Lencastre em Luanda.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Que é feito dela?



Mireille Mathieu, actualmente com 64 anos, foi uma cantora e embaixatriz da cultura francesa.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Descubra as diferenças...

(Clique na imagem)

Descubra as diferenças entre as Termas de Chaves e as Termas de Vizela

domingo, 17 de outubro de 2010

Madre Teresa de Calcutá



Em 17 de Outubro de 1979 Madre Teresa de Calcutá foi nomeada para o prémio Nobel da Paz.
Uma vida dedicada ao próximo.......e uma vida dedicada a Deus. Como viver sem o supérfluo...onde a única riqueza é a de espírito.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Regeneração de Valores



"Há cerca de 3 meses iniciamos um grupo no facebook chamado "Palhaços somos nós". Queríamos e queremos criar a consciência de que o destino de cada um de nós e do colectivo a que pertencemos, chamado Portugal, está nas nossas mãos. É muito fácil culpar os outros do nosso fado. Corajoso e inteligente é perceber quando é chegado o tempo de abraçar as nossas angústias e desejar um país melhor para os nossos filhos.

Não basta estar consciente de que a única mudança possível está dentro de nós. É preciso tomar firme a decisão de agir. Nasceu, então, o grupo "Aglutinadores de Consciência" no facebook. Consciência colectiva e acção.

Só existem verdadeiros valores comportamentais quando se dá o exemplo. Por isso, decidimos mostrar, na rua, que somos um grupo vivo, que dá a cara, e tem a força que ultrapassa um teclado de computador.
Queremos que este evento seja uma demonstração de que é possível unir e exprimir o desejo do cidadão.

Acima de tudo, queremos inspirar a população a aglomerar as vontades e que, por todo o país, se levante o enorme designio de repensar Portugal e de fazer Portugal."

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

1 ano!

(clique na imagem)

Faz hoje 1 ano que iniciei um novo ciclo na minha vida. Ciclo antecedido de 6 meses de muito empenho num projecto que seria uma alternativa para os Vizelenses. Projecto em que várias pessoas que, como eu, tinham até então estado arredados do mundo da politica. Pessoas válidas, honestas e desinteressadas. Algumas delas conheci-as melhor durante essa nossa cruzada que durou cerca de 6 meses. Foram momentos únicos, muito companheirismo e muita alegria. Pessoas que nunca esquecerei, apesar de o dia a dia nos ter privado de uma convivência mais amiúde. As caminhadas pelas freguesias, os convívios e as reuniões uniram pessoas que até então quase nem se conheciam. Um ano passou e fiquei mais enriquecida com toda essas experiências. A esses meus amigos de "luta" dedico este poema:

Amigo

"Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!"

Alexandre O'Neill, in 'No Reino da Dinamarca'

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Palavras...



Letras que fazem palavras,
palavras que fazem sentido,
sentidos que as palavras descrevem.
Descrever com palavras o que se vê
o que se ouve, o que se degusta ou
o que se pensa.
Pensamentos feitos de palavras que serão ditas,
ou não! Palavras por dizer ou por escrever ficarão presas!
Quantas palavras soltas sem razão! Razão que muitas vezes fica sem palavras!
Palavras que unem a humanidade, palavras que desunem os homens.
Palavras de amor, de dor, de alegria, de desilusão.
Quero palavras, muitas palavras. Não quero viver sem as dizer, ouvir, ler ou pensar. Palavras, respiro palavras!

sábado, 2 de outubro de 2010

Vive o instante que passa

(Uma das minhas plantas de interior)

Vive o instante que passa. Vive-o intensamente até à última gota de sangue. É um instante banal, nada há nele que o distinga de mil outros instantes vividos. E no entanto ele é o único por ser irrepetível e isso o distingue de qualquer outro. Porque nunca mais ele será o mesmo nem tu que o estás vivendo. Absorve-o todo em ti, impregna-te dele e que ele não seja pois em vão no dar-se-te todo a ti. Olha o sol difícil entre as nuvens, respira à profundidade de ti, ouve o vento. Escuta as vozes longínquas de crianças, o ruído de um motor que passa na estrada, o silêncio que isso envolve e que fica. E pensa-te a ti que disso te apercebes, sê vivo aí, pensa-te vivo aí, sente-te aí. E que nada se perca infinitesimalmente no mundo que vives e na pessoa que és. Assim o dom estúpido e miraculoso da vida não será a estupidez maior de o não teres cumprido integralmente, de o teres desperdiçado numa vida que terá fim.

Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente IV'