quarta-feira, 28 de maio de 2014

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Sem depois...................Mia Couto


Sem Depois

Todas as vidas gastei
para morrer contigo.

E agora
esfumou-se o tempo
e perdi o teu passo
para além da curva do rio.

Rasguei as cartas.
Em vão: o papel restou intacto.
Só os meus dedos murcharam, decepados.

Queimei as fotos.
Em vão: as imagens restaram incólumes
e só os meus olhos se desfizeram, redondas cinzas.

Com que roupa
vestirei minha alma
agora que já não há domingos?

Quero morrer, não consigo.
Depois de te viver
não há poente
nem o enfim de um fim.

Todas as mortes gastei
para viver contigo.

Mia Couto

sábado, 24 de maio de 2014

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ditado do dia.......................



A razão tem de ser a avalista das promessas feitas pelo coração.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

terça-feira, 20 de maio de 2014

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Até um dia Minha Companheira Isabel Machado......



Minha querida Companheira:

Conheci-a através de Rotary e sinto-me priviligiada por ter privado momentos inesquecíveis consigo e com o C.º Antonio Lereno Sousa Machado. A sua alegria, o seu amor aos jovens, a sua dedicação a Rotary e aos projectos....aprendi muito consigo. Admiro-a imenso e ficará na minha memória e no meu coração para sempre. Até um dia Companheira Isabel Machado......até um dia.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Meu querido filho.....



Meu querido filho,

Como o tempo passa! Na minha memória estás quando nasceste, a tua 1ª ida à praia, o teu baptizado, os teus dentes que teimavam em não sair, as tuas parcas, mas essenciais, palavras, a tua ida para a creche, para a escola, a queda que deste no dia do teu aniversário (5º aniversário) e que acabamos a festa no antigo Hospital de Vizela para seres suturado, o teu interesse pela leitura de enciclopédias, a tua destreza com os comandos, aparelhos e computador, a tua adolescência, a entrada na faculdade e o início da minha inexplicável angústia.
O fim do Curso e as palavras que escrevi na tua fita:

"Botões, teclas e comandos
foram sempre sua paixão
nasceu para os computadores
com o chip telecomunicação.

Para engenheiro estudou,
5 anos passaram velozmente
o meu menino se formou
na FEUP, brilhantemente.

Com muito orgulho e AMOR - Mãe 


2007-05-06"

Depois veio o Mestrado e Doutoramento, sempre com aquela inexplicável angústia.
Quase 28 anos da tua vida que me encheste de alegrias, de amor, de orgulho, de preocupação (quem é mãe sabe do que falo).....23 meses da minha vida sem ti....cheia, a transbordar saudade! AMO-TE meu FILHO! 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Quando vier a Primavera............



QUANDO VIER A PRIMAVERA

Quando vier a Primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.

Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma

Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.


Alberto Caeiro (Fernando Pessoa) in Poemas inconjuntos

terça-feira, 13 de maio de 2014

sábado, 10 de maio de 2014

quinta-feira, 8 de maio de 2014

domingo, 4 de maio de 2014

Regresso a casa.......


De volta para minha casa......vazia...sem uma das pessoas importantes para mim como mãe...meu filho Nuno Salta! Na Gare do Oriente ficou a minha filha Ana Rita, tão importante como o irmão. Através da janela despeço-me dela, recordo estes dias que passámos juntas e com a restante família. Foi tempo de festejo de aniversário da pequena Carolina, tempo de recordar a infância de meus filhos, tempo de viver momentos "felizes". De volta para casa....vazia.....mas com a minha alma um pouco mais cheia de vontade de continuar...........
Não tarda voltarei para junto de minha filha para mais uns dias de afecto.
Amo-vos meus filhos. 




Mãe e filho(a)...................


A Mãe e o Filho

Teu sêr tragicamente enternecido,
Em desespero de alma transformado,
Vae através do espaço escurecido
E pousa no seu tumulo sagrado.

E ele acorda, sentindo-o; e, comovido,
Chora ao vêr teu espirito adorado,
Assim tão só na noite e arrefecido
E todo de êrmas lagrimas molhado!

E eis que ele diz: "Ó Mãe, não chores mais!
Em vez dos teus suspiros, dos teus ais,
Quero que venha a mim tua alegria!"

E só nas horas em que a Mãe descança,
É que ele inclina a fronte de creança
E dorme ao pé de ti, Virgem Maria!

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias'

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Hoje já não faço anos......


"Pára, meu coração! 
Não penses! Deixa o pensar na cabeça! 
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus! 
Hoje já não faço anos. 
Duro. 
Somam-se-me dias. 
Serei velho quando o for. 
Mais nada. 
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira! ... 
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!..." 

Fernando Pessoa

Queria eu que meu coração tivesse parado
no dia que outro meu coração partiu...
Não faço anos...vivo dias, semanas e meses...
O futuro é palavra que me vou esquecendo.
O presente é doloroso...muito...demais...
Queria o passado para poder resgatar o meu coração que partiu! 
Mais uma data que o calendário e a minha certidão de nascimento dizem que envelheci mais um ano!
Já foi tempo em que festejava o dia dos meu aniversário.