domingo, 16 de novembro de 2014

Amor infinito...................


Meu querido filho,

Mais um mês que partiste.......menos um mês que esperarei para me juntar a ti!
Hoje vou falar do teu tempo ainda como feto.
Sabes que vivíamos em Lisboa e eu trabalhava no Hospital de Santa Maria no serviço de Medicina IV.
O três primeiros meses foram "enjoados".....digo "enjoados" porque tu também devias estar enjoado de tanto enjoo e vómitos que eu tinha....não te lembrarias mais tarde, mas vendo bem tu desde muito pequeno enjoavas com qualquer mau cheiro, imagens mais "agressivas" e com alguns alimentos.
Depois veio o tempo da nossa relação mais calma e graciosa.....os teus primeiros pontapés, o meu ventre que crescia contigo e mais tarde a tua obstinação em não sair.
Nas quase 42 semanas de gravidez fiquei a conhecer algumas das tuas caracteristicas....a tua calma, serenidade e "alguma" teimosia (teimosia que cedia aos meus pedidos).
Durante a gravidez o meu pensamento já era de preocupação....se nada correria mal durante o parto, se serias saudável....se o teu crescimento se faria sem os precalços que qualquer mãe teme: os acidentes (qualquer tipo de acidente), as dependências em substâncias como a droga e o álcool e até o tabaco...já me preocupava até com o teu futuro mais longínquo...se conseguirias atingir os teus objectivos profissionais e seres um adulto realizado.
Devido ao estado avançado da gravidez as minhas colegas chamavam-me "a gravidíssima".
Quando chegou a hora de teres mesmo que nascer ainda renitente "encravaste" pelo caminho......como te devias estar a sentir bem aconhegado no meu ventre.
O instante do teu nascimento está aqui comigo, é único como é único o instante do nascimento da tua irmã .
Aquele instante foi só nosso apesar de estarmos rodeados de várias pessoas....tu e eu...tu o meu primeiro Amor infinito!
E depois vieram todas as alegrias que me concedeste e também as preocupações, ainda mais vincadas, que tive durante a gestação.
Foste sempre um bom menino, bom aluno, bom amigo e colega.
O tabaco, o álcool e as drogas não fizeram parte da tua vida.
O acidente.....esse maldito acidente que (a "angústia" que não me largou durante quase uma década era um presentimento) te levou para sempre.
Amo-te meu querido filho_____ eternamente.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014





Mãe é ter um amor infinto uma preocupação constante pelos seus filhos Mãe é a felicidade na realização da felicidade dos seus filhos Mãe foi, é e será sempre mãe e com o mesmo amor infinito do filho que Deus chamou Mãe é ter seus filhos gravados na carne e na alma eternamente.... Amo-vos meus filhos Nuno Salta e Sano Ogawa (Ana Rita) infinitamente. Sois mais importantes que a minha vida!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Abre-se a janela.......


 Abre-se a janela.....

Abre-se a janela
entra o som da vida
e através dela
vejo a minha pequenez.

No rolar dos carris
as imagens correm
tanta terra, tanto país
somos tantos no viver.

Viagens divididas
coração em metade,
memórias vividas
na janela da maternidade.



Maria do Resgate Salta