terça-feira, 25 de julho de 2017

Ser Médica _______________________


"...Sublinho, no entanto, que ser médico na periferia, fora dos centros urbanos, é fascinante. Ainda hoje, sinto, através da memória, esse fascínio vibrante. A proximidade aos cidadãos,conhecê-los pelos seus nomes, saber das suas famílias e como se inserem na comunidade, são sensações geradoras de imensa satisfação confundida, por sua vez, por múltiplas emoções. Uma espécie de família extensa que inclui todos..."

 Francisco George Lisboa, Junho de 2016 [POSFÁCIO à edição de 2016 de "Retalhos da Vida de um Médico" de Fernando Namora


segunda-feira, 24 de julho de 2017

Caminhada _______________



Há 8 anos percorri ruas, caminhos, veredas, ora com sol e calor quase insuportável ora debaixo de chuva. Foram várias as caminhadas, porta a porta, cafés e locais de lazer. O companheirismo e a alegria entre os caminhantes reinou sempre. Mesmo quando o cansaço já se começava a sentir. Tenho muitas recordações dessas caminhadas.
Uma delas: numa freguesia a senhora que estava ao portão de sua casa convidou-nos para entrar. Ofereceu-nos uns petiscos (era hora do lanche) e falou da nossa caminhada. Que gostava. A sua neta conheceu-me logo pois é minha utente. Foi uma pequena festa à qual se juntou a filha e genro. Ambiente agradável. Geralmente tive e tenho, por norma, nas caminhadas de porta a porta ou de cara a cara (devido à minha condição de Médica de muitas famílias) não "pedir" o voto de ninguém. Esclareço nas perguntas que me fazem.No fim do lanche continuamos a caminhada depois das devidas despedidas aos nossos anfitriões ___ "contem connosco" disseram eles!
Cerca de 5 minutos mais tarde ouvimos buzinadelas de vários carros. Não tardaram até chegar a nós. Os ocupantes dos carros traziam bandeiras de adversários à nossa caminhada. E no carro da frente vinha a senhora que nos ofereceu o lanche com a sua neta ____ nunca mais me esqueci daquele "contem connosco"!!
Mas o mais importante foi o fim da caminhada. Saí dela ficando a conhecer os meandros daquilo pelo que nunca mais caminharei. Fiquei a saber que o "contem connosco" na maior parte das vezes foi fingido/simulado. Mas também privei com pessoas admiráveis. Valeu por essas pessoas e pelo companheirismo.


segunda-feira, 17 de julho de 2017

domingo, 16 de julho de 2017

Meu querido filho _________




Aguardando o tempo da viagem,
quero ver
o brilho das estrelas,
quero ver
o sol a acordar o mundo,
quero ver
o mar dançar
e que a sua dança
acalme e lave as minhas mágoas.
Quero que o tempo me esqueça.

Meu querido filho,


Já sabes que a Beatriz nasceu. Quis ver o mundo antes do tempo mas não induziram o parto, nasceu uns dias tarde, mais precisamente no dia 30 de Junho e na sua hora. Temos uma hora para nascer e uma para morrer ____ e a tua hora de morrer chegou muito cedo, muito cedo. Tinhas tanto para dar ao mundo, às pessoas e à ciência. Mas Deus chamou-te naquele dia e naquela hora como enviou a Beatriz no dia e na hora certa.
Lembras-te quando nasceu a tua primita Carolina? Foi há 5 anos, ainda não tinhas partido. Foi um dia especial com a tua avó Bia ansiosa para ser bisavó, a minha primeira sobrinha-neta e vossa primita. A sala de espera do Hospital da Luz estava em festa.
Um dia em que tudo parecia perfeito nas nossas vidas. Mas a vida é tramada e tramou-nos!
Tudo mudou e parte de mim partiu contigo nesse dia fatídico. A minha essência continua, mas a minha perspectiva sobre a vida mudou.
Não posso nem devo ir por caminhos que me possam magoar. Já não tenho aquela couraça forte que ultrapassou tantas adversidades. Ainda consigo ultrapassar algumas adversidades, como o que aconteceu com o meu cancro. Mas a tua ausência física, com todas as tuas qualidades como filho, debilita-me dia após dia.
Eu sei que me queres ver feliz mas o máximo que consigo é ter momentos de pequenas alegrias. Já me vão ajudando no resto da minha caminhada.
No dia que nos encontrarmos dar-te-ei o beijo, carregado de saudades, que naquela manhã (porque saíste cedo) não te dei.
Adoro-te meu filho.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

O facebook a lembrar _______


"Mais uma caminhada! Mais um tratamento. Na 1ª sala de espera estavam alguns acompanhantes e 2 pessoas para a radioterapia. Logo depois chegou a senhora dos vómitos. Desde que a vi pela primeira vez tem vindo a recuperar a alegria____ nos primeiros dias reparei que carregava o peso da incerteza mas sobretudo do medo. Fiquei feliz de a ver tão bem disposta. Cumprimentou-nos sorridente e sentou-se a falar descontarídamente com o marido e a filha.
Depressa fui chamada para entrar. Na 2ª sala de espera estava uma senhora a esfregar as mãos.
Sentei-me perto dela e começou a conversa. Era o 1º tratamento. Fez uma mastectomia parcial (tirou uma das mamas). Já tinha feito quimioterapia mas devido a uma infecção atrasou a radioterapia. Estava receosa. Descansei-a acerca do "solário" (ela esboçou um sorriso a esta referência). Aconselhei-a a hidratar-se bem, aplicar o creme várias vezes ao dia e pensar que está viva para a vida.
Fomos chamadas para os vestiários e enquanto esperava tirei esta selfie: - Momento em que estou acompanhada de mim, o corpo e a alma. Sendo que a alma é, incontestávelmente, a verdadeira VIDA dentro do invólucro que é o corpo!
Já só faltam 20 tratamentos!"

Maria Resgate Salta - Publicado no dia 5 de Julho de 2016 no Facebook

****

Hoje, dia 5 de Julho de 2017, 1 ano depois _____

O facebook a lembrar ______
Foram 30 dias de radioterapia e no fim fiquei mais rica em sabedoria. Aprendi muito com os meus e minhas colegas de "solário". Pessoas de várias idades com diferentes tipos de cancro, doença, malzinho. Partilhamos as nossas vidas, as nossas dores (e não foram só as físicas), as nossas expectativas, os nossos sonhos e um futuro incerto para todos (com ou sem doença).
E o tempo voou! Depressa cheguei ao último tratamento acompanhada com a saudade dos restantes 29 dias. Agradeço a Deus ter-me proporcionado estes 30 dias na minha vida! Foram e são preciosos!